Información

Concluído o primeiro levantamento histórico do caminho Braga-Santiago

Información
XornalGalicia 15 Mayo 2018 372 Votos

Ratio: 5 / 5

Inicio activadoInicio activadoInicio activadoInicio activadoInicio activado
 

Estudo com 400 páginas apresenta 80 documentos que comprovam a existência de um itinerário medieval de peregrinação e de comércio, hoje conhecido como Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros

O levantamento histórico dos últimos 60 quilómetros do Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros está concluído e constitui um trabalho “importante” para o reconhecimento oficial deste itinerário jacobeu que liga Braga a Santiago de Compostela.

 

O estudo “O Caminho Jacobeu de A Estrada – Um histórico caminho de peregrinação e comércio”, da autoria de Jorge Fernández, editado pela associação espanhola Codeseda Viva, reúne ao longo de 400 páginas mais de 80 documentos dos séculos XVI a XX, que comprovam a existência do itinerário em 60 dos 240 quilómetros que o compõem (Os restantes quilómetros encontram-se em estudo).

Jorge Fernández, um estudioso de história, arte e arqueologia, explica que abrange o troço do Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros melhor conhecido pelos envolvidos no estudo: desde Santiago de Pardesoa (concelho de Forcarei), Codeseda, Santiago de Tabeirós, A Estrada (concelho de A Estrada), Pontevea, Reis, Cacheiras e Montouto (concelho de Teo) até Santiago de Compostela.

O objetivo foi compilar toda a documentação disponível no sentido de recuperar um caminho de peregrinação medieval, histórico, e facilitar o trabalho de investigação da direção geral do património da Junta da Galiza [governo regional], a quem cabe a última palavra sobre o reconhecimento da importância do itinerário”, explica Jorge Fernández.

O levantamento concentra o resultado das investigações desenvolvidas por Luís Ferro Pego (historiador), Jorge Fernández e Carlos de Barreira (presidente da Associação Codeseda Viva). O estudo deste percurso histórico entre Braga e Santiago de Compostela começou em 2009, mas ganhou um novo fôlego quando os três se reuniram, em novembro de 2016, com Abdón Fernández, o presidente da Associação Jacobeia do Caminho Minhoto Ribeiro, a outra organização privada que investiga a história do itinerário.

O Caminho Jacobeu de A Estrada – Um histórico caminho de peregrinação e comércio” demorou quatro meses a organizar e foi concluído a 26 de abril último.“Estou 100% convencido que é importante para o reconhecimento como itinerário cultural ou jacobeu antes de 2021. O estudo confirma a existência de um caminho muito importante. É muito fácil de ler e até para a pessoa mais cética fica claro que aqui havia um caminho de peregrinação medieval”, destaca o autor.

Foi um desafio pessoal, que perseguia desde novembro de 2016, como habitante de Codeseda e de A Estrada, como apaixonado pela história, arte, arqueologia e, sobretudo, para honrar o povo português e os galegos da raia que com muito sofrimento passavam pela minha aldeia natal para homenagear o Senhor Santiago”, adianta Jorge Fernández, autor de 80% da pesquisa incluída na obra.

Mas penso que este é um trabalho de uma equipa e isso é que deve ser destacado. Cada um contribuiu como pôde. Como costumo dizer: “O protagonista foi, é, e será o caminho e os peregrinos que o percorrem. Devemos deixar o ego pessoal de lado e ajudar em tudo o que for possível”, destaca.

O estudo tem 409 páginas, mais um mapa no final com o traçado, elementos patrimoniais e vestígios jacobeus mais importantes. Aanálise dos documentos, cerca de 85% originais, é mínima porque, segundo o autor, “devem falar, e falam, por si”. É dado destaque aos mais importantes e a muitas fotografias.

O texto da autoria de Jorge Fernández “é mínimo” e aparece sobretudo na introdução, num breve estudo comparativo da representação em pedra da Epifania na igreja de Codeseda, nos artigos sobre vestígios jacobeus e escritores galegos que falam do caminho, e em comentários sobre diversos arquivos.

O livro conta, pelo menos para já, apenas sete exemplares e não pode ser vendido ou consultado. No entanto, o autor está convencido de que pelo menos o município de A Estrada o quererá publicar no futuro.

A Associação Codeseda Viva e  a Associação do Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro coordenam a investigação histórica, patrimonial, do traçado e sobre outros recursos necessários à validação deste caminho, um trabalho iniciado em 2009 que pretendem ver reconhecido com a homologação do traçado até ao Ano Santo Jacobeu de 2021.

O Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros (também conhecido como Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro) foi percorrido em 2017 por cem pessoas, estimando-se que o número cresça até 500 no corrente ano.

O AUTOR

Jorge Fernández

Jorge Fernández Guerra, nasceu em Codeseda, (A Estrada), Espanha, o 1 de setembro de 1970 (47 anos).

É um apaixonado pela história, arte e arqueologia. Já descobriu nos montes de A Estrada, Forcarei e Cuntis um total de 61 petróglifos (Arte Rupestre), e alguns vestígios históricos importantes na igreja e em Codeseda. Está a preparar um livro sobre a arte rupestre do concelho de A Estrada. É o autor de “O Caminho Jacobeu de A Estrada – Um histórico caminho de peregrinação e comércio pela comarca de Tabeirós – Terra de Montes/Documentação”, agora editado pela Associação Codeseda Viva. É formador em cozinha e pastelaria no Centro Integrado de Formação Profissional de Compostela (Santiago de Compostela), assessor culinário numa grande empresa de alimentação galega e administra a páginahttp://www.saboresdehoy.com/">www.saboresdehoy.com, que serve de apoio aos seus alunos de cozinha.