Información

Objetos da comunidade local em destaque no Territórios Dramáticos

Información
XornalGalicia 14 Mayo 2018 846 Votos Sección ; Localidades de Galicia

Ratio: 0 / 5

Inicio desactivadoInicio desactivadoInicio desactivadoInicio desactivadoInicio desactivado
 

“Museu da Existência” assinala o arranque do encontro de teatro. A peça tem como inspiração dois livros de Orhan Pamuk, Nobel da Literatura

 

 

A segunda edição do “Territórios Dramáticos” arranca esta sexta-feira. De 18 a 28 de maio, a vila de Joane, em Vila Nova de Famalicão, acolhe uma mostra de dramaturgia nacional, apresentando espetáculos de companhias como Amarelo Silvestre, Radar 360º ou Hotel Europa e ainda diversas atividades paralelas. O evento é promovido pelo Teatro da Didascália, sendo que, este ano, a grande novidade é a inauguração do FAUNA, um novo espaço artístico em Joane que será a sede de criação da companhia famalicense e um dos espaços de apresentação dos espetáculos, em articulação com o Centro Cultural de Joane.

“Museu da Existência”, da Amarelo Silvestre, é o espetáculo de abertura e tem como inspiração os livros “Museu da Inocência” e “Um Modesto Manifesto para Museus”, do escritor turco Orhan Pamuk, Prémio Nobel da Literatura em 2006. No espetáculo conta-se a história do Sr. Melo que construiu um museu com objetos que as pessoas fazem existir, como a aliança da revolução que acabou com a guerra ou o pão torrado que alimentou um amor clandestino. A peça envolve um trabalho prévio com o público, tendo em conta que será enriquecida também com objetos de pessoas da comunidade local de Joane. “Museu da Existência” pode ser visto nos dias 18 e 19 de maio, no espaço FAUNA, em dois horários: às 18h00 e às 21h30.

Já no domingo, dia 20 de maio, às 16h00, o Centro Cultural da Juventude de Joane (CCJJ) recebe “O cão que corre atrás de mim (e o avô Elísio à janela)”. Criado por Filipe Caldeira, o espetáculo é para maiores de três anos e apresenta “um retrato-memória da infância escrito a quatro mãos: duas que não param quietas; outras duas que as acompanham e observam”. Na semana seguinte, podem ainda ser apreciados projetos focados na memória pessoal e coletiva, bem como obras disruptivas e provocadoras do ponto de vista estético e intelectual.

Atividades para apreciar em família

No primeiro fim de semana do “Territórios Dramáticos” estão também programadas duas atividades paralelas. No dia 19, está agendada a primeira sessão de “Cear e Falar”, após a apresentação de o “Museu da Existência”. A entrada é gratuita e tem como objetivo impulsionar uma simbiose cultural entre a satisfação de admirar a arte e o contacto com o perfil artístico e gastronómico de cada artista, sempre acompanhado de Vinho Verde. No mesmo dia, mas entre as 10h00 e as 12h30, “PLAY” chega ao CCJJ: uma oficina lúdica dedicada às famílias e com orientação de Patrícia Amaral (coordenadora do programa de desenvolvimento de públicos do Teatro da Didascália, zOOm: ver melhor). O preço é de cinco euros.

“Territórios Dramáticos” tem como objetivo pensar as práticas de criação teatral sedimentadas em Portugal, privilegiando a pluralidade estética e artística. O preço dos bilhetes, por espetáculo, varia entre os três e quatro euros (com desconto para estudantes, maiores de 65 anos e para grupos de seis ou mais pessoas). As reservas podem ser feitas através do e-mail Esta dirección de correo electrónico está siendo protegida contra los robots de spam. Necesita tener JavaScript habilitado para poder verlo.">Esta dirección de correo electrónico está siendo protegida contra los robots de spam. Necesita tener JavaScript habilitado para poder verlo. ou do número 912 761 740. A inscrição para a oficina deverá feita através do e-mail Esta dirección de correo electrónico está siendo protegida contra los robots de spam. Necesita tener JavaScript habilitado para poder verlo.">Esta dirección de correo electrónico está siendo protegida contra los robots de spam. Necesita tener JavaScript habilitado para poder verlo. ou do número 924 305 850.

 


El Fiscal de Santiago Jorge Fernández de Aránguiz y Caño afirma en un DECRETO que no tiene relevancia penal que un letrado de la Xunta realice desde otra entidad "AUTOCONTRATACIÓN EN LA ADMINISTRACIÓN PÚBLICA"....+

Con fecha 20 del 7 de 2018 la Fiscalía de Santiago notifica DECRETO sobre las diligencias 23/2018 seguidas por el Fiscal Jorge Fernández de Aranguiz y Caño que resuelve archivar las investigaciones al considerar que según la normativa de la USC no hay materia penal que justifique continuar con el proceso.

En el decreto se recoge acreditado como el Sr Millan Calenti (contrató subvenciones públicas con la Xunta) y Montero Villar ordenaron propuestas de pagos internas para si mismos al CECOOP por trabajos que realizaron ambos que "el Decreto Fiscal afirma son legales". En la documentación sin embargo no constan los datos referentes al IVA u otros tributos del citado pago, ni los fundamentos jurídicos sobre "AUTOCONTRATACIÖN E INCOMPATIBILIDADES DE LA XUNTA DE GALICIA"......(+)


Otros articulos relacionados.....
esafsqarhyazeubebgcazh-CNzh-TWhrcsdanlenettlfifrglkadeelhtiwhihuisidgaitjakolvltmkmsmtnofaplptrorusrskslswsvthtrukurvicyyi